quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Querida eu...(fazes-me falta)

Querida Eu,


Como tens passado? Tenho saudades tuas, nossas, daqueles pensamentos conjuntos que temos quando mais ninguém nos olha, nas esquinas das sombras quando toda a gente se distrai com o quotidiano.
Eu cá tenho estado sempre na mesma. Sim, está bem, estou mentindo; tenho passado terrivelmente mal na tua ausência demasiado prolongada. (vais voltar não vais?). As pessoas dizem-me: "Não te preocupes, a vida continua...tens de andar em frente!". Porra, como é que eu hei de andar em frente quando perdi meio corpo por ai? Quando me perdi a mim mesma? Han? Diz-me lá como é que vou fazer isso! (Sabes? voltas?)
Estou-te a escrever para te dizer que me fazes falta, fazes-me tanta falta. Saudades puras que brotam de mim por ti, desculpa, por nós.
Enquanto eu crescia, tu infantilizavas ainda mais. Eu procurava explicações, estudos exaustivos da vida, justificações e responsabilidade inxequível; tu mandavas-te de cabeça, fazias palhaças de nariz vermelho, atiravas papeis e mascavas pastilha.
Choras-te a nossa separação? Choras-te tanto como eu? (Chiuu confessa, não contarei a ninguém) Ah sério? Noites a fio, sem intervalo, com serras de lenços ranhosos e olhos irradiados de sangue? Fazes-me falta!
Eramos uma só, almas no mesmo corpo, personalidades ligadas por pequenos desejos e pecados comuns. Que fizes-te à criança que eras dentro de mim? Porque fugis-te tu maldita miuda pequena? Porque me deixas-te apenas com esta pessoa demasiado crescida para apanhar chuva, saltar nas poças e sujar as mãos no barro?! Tenho saudades.


Termino aqui a minha carta a ti, quer dizer a ex-mim. Lambo-a com saliva, encerro o envelope de coisas que preferia nao voltar a ler, meto no correio, espero dois dias, talvez três, abro (olhaa chegou uma carta) e leio...Ah pois, apenas uma carta para me lembrar que partis-te de vez, sua miuda em mim.

Tenho saudades (de nós)

Com eterna Saudades,
Eu





p.s. mais alguém aqui perdeu alguma coisa de si? alguma criança em si?

5 comentários:

Anónimo disse...

Há um lado meu, totalmente criança, mas apenas mais responsável, menos inconsciente. Esse lado ainda está presente... Apenas perdi a inocência, aquela ingenuidade típica. E de certa forma ainda bem. Para sobreviver não se pode ser ingénua.

Bjnh

Ricardo Vitorino disse...

Eu continuo-o com o meu lado criança, será que alguém consegue nao reparar nisso? Eu também já pensei nisso e cheguei a conclusao que nao perdi nada, está tudo cá dentro, apenas surgiram umas camadas por cima da bola inicial, camadas que me tornam mais feliz mas que não vivem sem a bola inicial que faz de motor!

Ao ler isto parece k tas triste, mas no fundo, é a tua conclusao de que estas a ficar adulta(a minha interpretaçao pode nao estar correcta)

Adoro ler o k escreves

bj

soft disse...

eu ainda tnh o lado criança.. tnh medo é q o lado adulto se evidencie demais...

PARVO disse...

Estou completamente perdido!!!

Não encontro lado nhum !!

Estou m a tentar curar do tal sentimento k so falam bem dele e tal... mas inda n vi nada.
so deu pa miseria.
Nunca mais Baza, kuando penso k m encontrei, EIS K PIMBASSS ele ataka.
Só me faz sentir mal!!

Bem olha tu escreves francamente bem
espero k ontinues a escrver estes textos pa ver s eu aprendo kkekoisa

Marco disse...

Este texto tá EXPETACULAR, muita gente deveria de ler isto porque infelizmente ja muita gente perdeu o seu "eu" original e nem sequer se deu conta disso.
Graças a Deus eu nunca cheguei a perde-lo (axo k tambem mesmo que isso fosse possivel nunca abandonaria a minha eterna criança)
continua a escrever assim e n sei porque axo k esse texto vai ser divulgado por alguem que quer que muita gente saiba da exitência dele :) bjo