domingo, 7 de outubro de 2007

17,83


Se não fosse o facto de a minha vida não ser um filme de terror (vá daí às vezes parece), eu diria a muitas pessoas que este é o número do diabo, ou qualquer coisa assim desse estilo igualmente diabólica que desse pesadelos a crianças pequeninas.

(ok, mas não é)


Tenho de admitir que estes terríveis algarismos unidos com uma virgula no meio, me fazem a vida negra (cinzenta, preta) quase de uma forma sombria e nébula maligna que me perseguem fantasmagoricamente para onde quer que vá.


Muitos são aqueles que me julgam por sacrificar quase uma vida por um sonho...mas quem raio são vocês para combater algo que sempre quis fazer toda a minha vida? Porra, senão compreendem, calam a boca. (desculpem, não quero ser rude)


17,83...e quem me garante a mim que para o ano não é ainda mais?! A angústia por vezes torna-se insuportável...não, não estou com problemas de amor, nem de familia, nem existenciais de uma adolescência perturbada por acne. Este número ou provavelmente outro igualmente assustador, dita aquilo que vou ser, aquilo que quero ser até morrer e não o posso por um número, por uma décima...


Maldito número que por vezes me deixas tão miserável, arranhas-me a cara com as lágrimas que provocas e o desespero de já não saber quem sou, sem este sonho realizar.


Será pecado querer fazer da medicina uma profissão para a vida? Hein? Será?


Jovens portugueses como eu, sem mais saidas no plano A, partem por caminhos desconhecidos, em países estrangeiros e depois vêm médicos estrangeiros trabalhar para os hospitais portugueses...Agora digam-me! A sério, esclareçam-me que eu não consigo compreender...


Como é que temos tantos jovens a querer estudar em Portugal e por números como este, vão parar a Espanha e afins e depois ainda nos queixamos que temos falta de médicos ou muitos médicos estrangeiros. Agora digam-me?! Não tenho motivos para estar indignada?


Se estudar medicina em Portugal não é quase tortura, é o que então?


Pois bem, número terrível...podes continuar a assombrar-me nos próximos meses, mas não deixarei compreendes? Não deixarei que me estragues o sonho, que me estragues aquilo que quero ser (que vou ser)...não vou deixar (pequenas lágrimas)...não vou (sussurro)


Com 17,83 ou sem...aqui ou lá fora...vou ser uma médica!



(alguém me compreende?!)

8 comentários:

Eduardo Luis disse...

BEM kekeu posso dizer!!!?!!!

brilhante !!, magnifico!!, n desistas!!


continua

**

Ricardo Vitorino disse...

;) Já sabes mana, ja te disse, tou aki pa te ajudar a conseguires esse sonho, eu nao te kestiono quanto a tua opçao pk te apoio kk k seja essa escolha. O texto ta mt forte, como eu gosto de ler os teus textos. aaaiiii, k bons k eles sao.

Bj para minha gemea k um dia vai ser medica

Ricardo Vitorino disse...

Ah, eu compreendo perfeitamente, quando for primeiro ministro, vou resolver este grave problema, fica descansada.

Adorot

soft disse...

compreendo-t sim, embora o meu problema n seja a média (n estou a dizer q as mnhas notas são algo d brilhante, apenas no curso q quero a média é algo mais secundário).

eu acho q deves lutar pelo q queres, o q quer q isso seja!
concordo ctg.. tanta falta d médico, tantas horas d espera, tanto médico estrangeiro.. é q é mto esquisito!!!

boa sorte e sê feliz! (os teus textos são mto bm conseguidos!)

Jorge disse...

+ 1 excelente texto!!


tens razao... é 1 exagero...

so poxo dizer uma koisa:

k konsigas o k pretendes!! n desistas...


bjs

Little Lynx disse...

Por acaso é IRRRRRIIIITTAAAAAAANNNTEEEEEEEEEEEE

ODEIO estas médias
ODEIO

E é a tal coisa...queixam-se queixam-se mas NUNCA fazem NADA!!!

I.E., nao descem a PORCARIA das medias

LOOOL

compreendo-te mesmo

soft disse...

boas notícias!!!!!

vi agr na tv q o ministro de n sei o q disse q disse q era preciso aumentar o nº d vagas no curso de medicina! disse q havia falta d médicos em Portugal (brilhante conclusão)!!

:D

Maria disse...

.. nao sei como vais encarar este comentario..ou se ja tomas te alguma decisao entretanto..
eu sou estudante de medicina na FMUC no ano em q me candidatei tive mais sorte do q tu e nao acho mais q isso.. tb concordo com isso das vagas aumentarem e de se dar a nota com q se faz o curso aos nossos colegas q estudam em Espanha.. pelo menos a esses.. vou partilhar 1 pouco da minha experiencia: eu acreditava q as faculdades funcionavam como o secundario em termos de qualidade de ensino pq tive a sorte de ter optimos professores e esperava q perante a exigencia q nos era feita a entrada tb houvesse uma correspondencia na qualidade de ensino.. ao fim de 2 anos de aqui estar parti pra Alemanha em ERASMUS com a nocao de q sabia menos de Medicina do q no final do secundário. nessa estadia aprendi tudo o q sei d q é ser médico e nao esqueco.. era para ficar 1 ano mas a FMUC criou-me problemas e tive de regressar.. agora 1 ano depois ainda nao sei se vou acabar o curso aqui ou se terei de emigrar e deixar isto.. pq as leis nao sao iguais p todos, depende se o teu pais sao amigos dos profs ou nao ou se tens alg1 lugar na associacao de estudantes.. resumindo é 1 rebaldaria do «quero, posso e mando» dentro das faculdades e nenh1 bom senso.. sei q é dificil p ti entender mas a verdade é q os colegas q estudam em Espanha e fazem ERASMUS p ca, por ex, tem direito ao reconhecimento daquilo q fazem e estao informados de tudo e nós é conforme quem esta na faculdade lhe apetece ou nao e o irónico disto tudo ainda é q eu só pedi a frequencia das aulas práticas quando outros colegas q fizeram o mesmo exame q eu tiveram direito à nota!.. e o ministério lava as maos do assunto pq as universidades tem autonomia..
depois pensamos em pedir transferencia, pq td a gente sabe q fomos nós q tivemos no estrangeiro, basta ler o nome mas as vagas p isso sao quase inexistentes (em Pt e tb de Pt para outro pais o q já é totalmente diferente dentro de espanha por exemplo) e por outro lado a falta de equivalencias entre cadeiras iguais no mesmo pais.. ironicamente ha mais equivalencias de portugal para espanha do q dentro de portugal.. e ainda vai 1 esperanca pra q o Processo de Bolonha acabasse com estas histórias mas nao, as faculdades de medicina ja arranjaram meios de impedir ao maximo a mobilidade dos estudantes com o receio q emigrassem ao ver a diferenca de qualidd cm algumas das outras faculdd estrangeiras.. a verdadeira prática q aqui nao existe.. eu vi 2 vezes cadaveres no curso e foi nas aulas de Medicina Legal outros colegas de Lisboa nunca entraram num bloco operatório.. e falando com os colegas os comentários multiplicam-se.. mas o curso de Medicina em Portugal continua a ser encarado como 1 coisa mt preciosa e é complicado querer discutir alg1 coisa.. mas na incerteza em q me encontro nao sei se terei de fazer 1 escandalo para mostrar o q é isto tudo, a realidade além da propaganda q se faz em torno das faculdades.. eles nao me querem ca mas tb nao me podem expulsar e eu nao posso voltar p a Alemanha se nao provar q é verdade tudo isto e outras situacoes peculiares..
.. digo isto tudo para q reflictas da proxima vez em q pensares perder o ano para ficar em Portugal.. com os melhores cumprimentos..
Maria Luis