sábado, 5 de janeiro de 2008

. facto nº 4

Por vezes gostava de ser uma pessoa fria e cruel porque as pessoas frias e crueis magoam as outras mas não sofrem com isso. Mas sou uma pessoa que ama e dedicada, que quando magoa as pessoas (sem querer) sofre muito por isso.
(queria ser uma pessoa fria)
(quer dizer...queria mas não queria)
(mas por vezes parece o caminho mais fácil)
(...fui...)

post scriptum. eu sei que te magoei muito e que feri o teu coração, e não é suposto a pessoa que tu tanto amas fazer-te uma coisa daquelas mas fiz e arrependo-me tanto...(um dia vou ter a resposta)

6 comentários:

Ricardo Vitorino disse...

Espero k isso passe, a sério, aliás vais passar, o k ker k seja.

O dom de tanto amar é que depois se pode sofrer muito, tb gostava de por vezes ser assim, nao sentir a dor de magoar os outros, mas se assim fossemos será k sentiriamos a alegria de fazer os outros felizes? pensa bem nisso

bjs (L)

Sofia disse...

Everybody hurts... sometimes! É natural! É impossível não magoar alguém que se ama durante toda uma vida! Afinal, somos humanos; e os humanos cometem erros... por vezes muito feios, mas compreensíveis - todos temos as nossas razões! Espero que isso passe!

Edu disse...

e vdd tb ja tive na situaçao

era capaz d dar jeito em determinadas situaçoes

MarcOO disse...

Para quê ter o desejo de ser Fria e teres a capacidade de magoar os outros sem sentires remorso por isso? A vida é para ser apreciada, é para sentirmos os bons e os maus momentos para que possamos aprender e a aperfeiçoar-mo-nos enquanto pessoas, para isso cometemos erros, para que mais tarde não os voltemos a repetir.

Vais ver que tudo se resolve.

margarida disse...

As pessoas frias também têm coração, também sentem. Também lhes dói, tudo. Mas a dor é inevitável, o sofrimento é que é opcional. Viver de mãos dadas com o sentimento é bom, mas estar atento a tudo e ser realista é ainda melhor.

Vive com os sentimentos no coração, os pensamentos na cabeça, o mundo nos ombros, o futuro num pé, o presente no corpo e o passado atrás das costas.

Sente, pensa, aguenta, anda, aprende e vive, menina. Porque nada disso é de ignorar.


*

Cátia disse...

as vezes dava-me jeito sê-lo tb! ;)