quinta-feira, 15 de novembro de 2007

.funerais de almas

Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No minimo que fazes,
Assim em cada lago a tua lua toda,
Brilha, porque alta vive.
Ricardo Reis - Ode
Cada vez mais se torna dificil ser inteira, ser completa. Sou cada vez menos, e cada vez consigo pôr menos no que sou...(morri). O minimo que faço nem o sei, o máximo esse... esse parece que nunca chega para nada. Nado aos circulos sem chegar a lado nenhum! (morri)
Parece que não sou boa o suficiente, isto ou aquilo suficiente (se calhar não sou mesmo)...não sirvo nem para o minimo quanto mais para os sonhos concretizar.
Sabem que mais? Morri! Enterrem-me e digam-lhe a ele que o amo do fundo do coração.
(morri)
(a respiração falha)
(finalmente deixei-me de não ser suficiente)
(morri)

5 comentários:

Margarida disse...

Digam-lhes, digam-lhes que morri. Algum dia hão de esquecer o meu nome.

Tell all my friends I'm dead,
I'm leaving you, this time is for good.
Tell all my friends I'm dead,
It won't be long before you forget my name.


New Found Glory - Forget My Name

E esta é a minha única forma de sentir.

Mary disse...

:) lindo*

Edu disse...

bOM!!

neto disse...

gosto muito de ler as suas coisas...
Deixei um prémio para si...

Ricardo Vitorino disse...

mt bem! mas nao keremos k morras!!

bjs