domingo, 12 de abril de 2009

Catwomen

Eu tenho de ser sincera, já me chamaram muita coisa nesta vida de 19 aninhos. Vai do insulto mais feminino, ao elogio mais carinhoso, da asneirada mais convicta ao elogio mais sincero; mas no outro dia, certa pessoa e colega de faculdade fez-me o favor de ser original (finalmente uma alma caridosa original) e chamou-me algo de completamente inovador.

E vai se a ver, certo dia, o M. não tem mais nada, a meio de uma sessão de estudo na biblioteca da faculdade, vira-se e diz com um ar triufante:

- Minha querida A. tu és tal e qual como um gatinho

E não vai aqui a A. de fazer um enorme ar de espanto/intriga e pensar "que raio vai sair da boca deste" e respondi:

- Porque?

E o meu querido M. diz:

- És como um gatinho de estimação, está aqui o pessoal todo desanimado a estudar electromagnetismo, o ar carrancudo que pesa nas nossas cabeças exaustas e basta dizermos a minima piada (muitas vezes sem piada alguma) para tu te desatares a rir com tanta boa disposição e alegria que animas toda a gente. Lá está, és como um gatinho de estimação que nos anima o dia, só por ficar todo feliz quando lhe fazemos uma simples festa.


E ora bem, isto passou-se à cerca de duas semanas, e ainda agora estou a tentar perceber se isto foi um elogio ou nem por isso? Há com cada coisa às vezes?

3 comentários:

Ana disse...

A mim parece-me um elogio, =)

Maggie disse...

Mulher, é um elogio! :D

Susana Dias disse...

Li e não posso deixar de comentar tendo em conta o sorriso que invadiu a minha cara ao ler e ao imaginar. Ao imaginar o "ar triunfante" e ao imaaginar o teu ar de intrigada... Lindo!
Por isso o meu comentário é isto: um sorriso grande*

Um elogio ou não? Bem, vindo a apreciação de quem veio não se pode dar muita importância... Certo? :-)

Aqui fica ainda outro sorriso grande. Um sorriso de recordações e saudade das manhãs e tardes a estudar, ou não, na biblioteca da faculdade!!

*Susana